Sobre O Nome.

Eis que chega o momento da escolha e decisão final do nome para a empresa ou projeto. Para chegar até esse momento, é preciso pensar bem!
Nós passamos por diversas situações durante nossas experiências profissionais que nos fizeram observar essa questão do nome. Realizamos algumas reuniões ultimamente, para conversar sobre propostas, e nos deparamos com situações complicadas em relação a este assunto.
Uma escolha mediana pode levar a um grande problema, e a baixa nas vendas ou falta de popularidade de uma marca podem acontecer pelo simples fato de o nome não ter sido bem pensado.

O processo de escolha de nome deve ser longo, minucioso e detalhista, além de passar por várias etapas em uma viagem pelo corpo humano:
≻ Cérebro: onde os dois lados são igualmente importantes, o hemisfério direito e o esquerdo – o criativamente expressivo e o analítico racional – enquanto um lado viaja nas ideias e relações de significados, o outro traz o conceito à realidade dos pés no chão.
≻ Olhos: um nome deve compor uma imagem agradável, leitura fácil, escrita leve e que não cause dúvidas com letras, números e hifens. Nomes com numerais podem ser um problema: como saber se o número é o caractere em si ou escrito por extenso? Em relação à língua portuguesa, as regras para uso de hífen podem dar dor de cabeça, então pra quê usá-lo? Algumas letras são famosas por suas composições gêmeas em nomes próprios (LL, NN, OO, etc) e nós mesmos, Miler, sofremos com isso, pois é comum as pessoas acharem que é com L duplo…
≻ Ouvidos: a fonética e o som que o nome promove deve ser agradável sonoramente, além de não remeter a alguma palavra ou efeito sonoro de duplo sentido ou conotação estranha.
≻ Boca: a pronúncia e a forma de articular o nome da marca deve ser simples, idealmente, sem gerar dúvidas para quem lê, em relação a acentos, entoações e sílabas tônicas. Esta preocupação é pertinente por ser responsável pelo marketing boca-a-boca, talvez o ‘veículo’ de comunicação mais importante e valioso do mercado.

O processo de escolha de um nome pode ser mais complexo do que imaginamos. Após a fase criativa do brainstorm, é o momento de pensar racionalmente sobre as opções de escolha.

Outros fatores que merecem atenção são as características de comportamento, culturais e sociais do público-alvo da marca em questão.
As perguntas abaixo são interessantes para se fazer, e as respostas servem de orientação para a fase racional de criação de nome:
Meu cliente potencial é culto? Tem conhecimento amplo em escrita, em inglês, em outras línguas? Conhece outras marcas semelhantes à minha? Pode confundir o nome de minha marca com outro? É capaz de fazer ligação do produto que ofereço com o nome da marca?

Sobre questões técnicas também há observações pertinentes: o nome escolhido é de fácil indexação no Google? Pode conflitar com alguma palavra forte existente, ou outra marca ou nome próprio? Haveria dificuldades para registro de marca e compra de domínio para desenvolvimento de um site?

Planejamento é o ideal, em qualquer área do negócio, e ao que se diz respeito à identidade visual também não poderia ser diferente.

Uma ótima ferramenta que nós indicamos é a do Movimento Empreenda, Nomes para um novo negócio.

E caso queira mais dicas, sugestões ou trocar ideias sobre o seu negócio, nós da Miler estamos à disposição. ;)

Comentários